Sabedoria feminina

Atualizado: Mar 1

Na grande capital, mãe e filho sempre oravam juntos à noite.


Ele era um pai viúvo, com a filha de dezoito primaveras com quem vivia em rixas constantes.


Fosse por excursões, vestidos na moda, visitas ou festas, surgiam as reclamações e críticas paternas. A jovem não deixava por menos e vinham as discussões amargas.


Enquanto o pai se irritava por bagatelas, a avó estava sempre compreensiva e serena.


Certa feita, o pai exasperado, no momento da prece, indagou da genitora:


— Mãe, como pode você permanecer tranquila, ante os demandos de sua neta?


A senhora respondeu sem se perturbar:


— Filho, em minhas orações diárias, entrego nossa menina a Deus.


— E Deus a escuta? Volveu o filho mal-humorado.


— Creio que sim.


— Mãe, por que você se mostra assim tão convencida?


A senhora explicou-se com simplicidade:


— Meu filho, sei que Deus me ouve por três motivos: Ele é um Pai que nunca se desespera, como acontece com você; possui, só em nossa cidade, milhares de filhas semelhantes à minha neta naturalmente protegendo a todas; e, por fim, não me consta que Deus, algum dia, haja mostrado a pressa que você tem.


Autor: Emmanuel (Espírito)

Médium: Francisco Cândido Xavier

Livro: Joia

9 visualizações

Entre em contato conosco caso sua dúvida não tenha sido contemplada entre os itens apresentados aqui.

©2018 por Pensar Espírita.