Obsessões


“... E não nos deixeis cair em tentação, mas livra-nos do mal.” Jesus - Mateus, 6:13.


Nem sempre conseguimos perceber.


Os processos obsessivos, vastas vezes, porém, principiam de bagatelas:


- O olhar de desconfiança...


- Um grito de cólera...


- Uma frase pejorativa...


- A ponta de sarcasmo...


- O momento de irritação...


- A tristeza sem motivo...


- O instante de impaciência...


- A indisposição descontrolada...


Estabelecida a ligação com as sombras por semelhantes tomadas de invigilância, eis que surgem as grandes brechas na organização da vida ou na moradia da alma:


- A desarmonia em casa...


- A discórdia no grupo da ação...


- O fogo da crítica...


- O veneno da queixa...


- A doença imaginária...


- A rede da intriga...


- A treva do ressentimento...


- A discussão infeliz...


- O afastamento de companheiros...


- A rixa sem propósito...


As obsessões que envolvem individualidades e equipes quase sempre partem de inconveniências pequeninas que devem ser evitadas, qual se procede com o minúsculo foco de infecção.


Para isso, dispomos todos de recursos infalíveis, quais sejam:


A dieta do silêncio;


A vacina da tolerância;


O detergente do trabalho e


O antisséptico da oração.


Autor: Emmanuel (Espírito)

Médium: Francisco Cândido Xavier

Livro: Segue-me!... Lição nº 66. Página 167

Entre em contato conosco caso sua dúvida não tenha sido contemplada entre os itens apresentados aqui.

©2018 por Pensar Espírita.