Advertência de amor

Fala-nos, o Evangelho do Senhor, que nos futuros dias, por Ele previstos, a dor ganharia dimensões inimagináveis, arrastando multidões ao abismo, ao desespero, fazendo que o delírio e o desequilíbrio aturdissem a Humanidade.


Na simbologia profética, Ele caracterizou as horas terríveis, vestindo-as de alegorias.


Vivemos hoje esses dias prometidos, sem nenhum retoque nem disfarce.


Anunciam-se as horas graves da transformação dos homens, da mudança vibratória do Planeta.


Ninguém se engane ou engane a outrem.


Clareados pela razão da fé espírita, tenhamos a lucidez do discernimento, a perseverança da convicção e a coragem de porfiar fiéis até o fim.


O martirológio prossegue atual; o circo aumentou as suas dimensões; o suplício variou de forma, porém os testemunhos à verdade, ao progresso, são os mesmos.


Cultiva a paciência, mantendo, alto e nobre o ideal da fé espírita.


Não reajas pelo hábito de reagires. Age pela consciência do equilíbrio.


Não podes ser confundido com aqueles que perderam a fé, que desconhecem o Reino de Deus e se utilizam dos mesmos mecanismos vis para a sobrevivência inglória no corpo e os triunfos mentirosos da ilusão.


A consciência da fé proporciona a harmonia da paz, e nela a felicidade real.


Convidado ao debate injusto, ao duelo nas disputas inglórias do corpo, renuncia a presunção e sê simples como as aves dos céus, os lírios do campo, confiante em Deus.


Nenhum tesouro que se equipare ao bem-estar da consciência reta e pacificada, em harmonia com os Decretos Divinos.


Amando o bem no lar, nos grupos sociais, de trabalho e religioso, e na comunidade, o cristão é uma carta viva de Jesus. Nela deve estar presente o Código que foi apresentado na montanha, como diretriz de equilíbrio para os outros, a exteriorizar-se de si próprio.


Não te permitas contaminar pelo bafio pestilento da loucura que a todos atinge.


Vitimado, banha-te na água lustral do Evangelho; retempera o ânimo; recompõe a atividade; volta à paz.


Vale o esforço a fim de que não fiques na retaguarda, com os elos escravizantes retendo-te na imposição, para um retorno amargurado.


Avançar é a meta; seguir sempre é a diretriz.


Não faltarão provocações e tentações, porque estes são dias de loucura. Não te deixes enlouquecer.


São horas de agressividade. Não te permitas enfurecer.


São momentos de tragédia. Não queiras sucumbir nas mãos dos maus, por motivos que não se justificam.


Sucumbir, somente pela glória do serviço a Deus, do irrestrito dever da caridade na vivência suprema do amor.


Ora mais, mais um pouco.


Vigia mais, advertido quanto ao rolo compressor que avança inexorável, esmagando os distraídos.


Os tempos, por fim, chegaram, mas recorda-te, Jesus está conosco.


Autora: Joanna de Ângelis (Espírito)

Médium: Divaldo Pereira Franco

Do Livro: Desperte e Seja Feliz, cap. 12

Entre em contato conosco caso sua dúvida não tenha sido contemplada entre os itens apresentados aqui.

©2018 por Pensar Espírita.